As centrais de Regulação Hospitalar (de leitos e ambulatorial) e de Transplantes, desde o segundo semestre de 2012, estão fixadas nas instalações da antiga sede da SES, na Boa Vista. Ao todo, foram investidos R$ 427 mil (obras e compra de equipamentos) na nova estrutura, que possui mais de 500 m² de área.
 
A Central de Regulação possui equipe formada por 100 pessoas. O serviço atua com o apoio de um call center, que recebe ligações de todas as unidades de saúde do Estado que lidam com casos de urgência/emergência, UTI e obstetrícia, sejam estaduais, municipais, federais ou particulares que prestam serviço ao SUS. Com essas informações, a equipe de médicos e enfermeiros avalia os casos encaminhados e, a partir disso, indica o serviço de saúde do SUS mais adequado ao perfil clínico do paciente. Há, ainda, a Central de Regulação Ambulatorial, que autoriza procedimentos ambulatoriais de terapia renal substitutiva, oncologia, reabilitação, saúde bucal, entre outros.
 
Por dia, são regulados, em média, mais de 600 pacientes. Isso envolve 286 unidades hospitalares e mais de 1,3 mil estabelecimentos de saúde ambulatorial. Para otimizar o trabalho, há, ainda, uma Central de Regulação em Petrolina e a Central Interestadual de Regulação (Rede Peba), que envolve Pernambuco e a Bahia, além de núcleos internos de regulação nos hospitais Otávio de Freitas, da Restauração, Agamenon Magalhães, Getúlio Vargas e Regional do Agreste. Também está em andamento a descentralização da Central para Caruaru e Serra Talhada.
 
Já a Central de Transplantes de Pernambuco (CT-PE), existente desde 1994, fica responsável por cadastrar receptores de órgãos e tecidos na lista de transplantes, receber notificações de potenciais doadores com diagnóstico de morte encefálica e articular a logística que torna a cirurgia de transplante possível. Saiba mais AQUI

Aplicativos

Nenhum documento para download encontrado.