Aconteceu nesta quarta-feira (04/05), no primeiro pleito realizado após lei que alterou processo de escolha de dirigente da entidade, a eleição dos novos presidente e vice-presidente do Conselho Estadual de Saúde de Pernambuco (CES-PE). O conselheiro Euclides Monteiro, representante do segmento usuário pelo Instituto Brasileiro Pró Cidadania, foi o escolhido para a presidência, enquanto a conselheira Rosa Maria de Lima Gomes, do segmento trabalhador pelo Sindicato dos Odontologistas no Estado de Pernambuco, foi eleita para a vice-presidência do Conselho. A gestão presidirá o CES no biênio 2021-2023.

O processo eleitoral se deu após a sanção da Lei 17.700 pelo governador Paulo Câmara, que modificou o processo de escolha do presidente do Conselho Estadual de Saúde de Pernambuco. O órgão colegiado, que conta com participação da sociedade, tem como funções formular estratégias, controlar e fiscalizar a execução da política estadual de saúde. Até então, segundo as diretrizes da Lei nº 12.297, de 12 de dezembro de 2002, o presidente nato do CES-PE sempre era o secretário estadual de Saúde. 

"É um avanço nós usuários e trabalhadores do SUS estarmos na presidência deste órgão do Controle Social. Quero agradecer a todos os envolvidos e à postura do secretário de Saúde de Pernambuco André Longo, que, ao assumir em 2019, prometeu que seria realizada eleição para presidência do Conselho ainda no seu mandato e cumpriu. Ganhamos todos nós, a sociedade civil organizada", pontuou Euclides Monteiro.

O processo eleitoral contou, ainda, com o deferimento da candidatura da chapa 2, composta pelos conselheiros Wilson Alencar e Adma Belarmino que obtiveram 3 votos contra os 23 obtidos pela chapa vencedora. 

"O novo processo de eleição é um marco histórico para o controle social do SUS em Pernambuco. Parabenizo os conselheiros Euclides Monteiro e Rosa Maria pela eleição e transmito os votos para uma gestão compromissada com as diretrizes do Conselho de Saúde, agora muito mais forte e democrático com a escolha do Presidente e Vice-Presidente pelos próprios conselheiros e conselheiras", pontuou o secretário estadual de Saúde, André Longo.