Os dez profissionais da terceira turma de residência em enfermagem obstétrica da Escola de Governo em Saúde Pública de Pernambuco (ESPPE) iniciaram suas atividades em março com módulos teóricos em Garanhuns, no Agreste do Estado. Nessa fase, os residentes vivenciaram simulações práticas utilizando equipamentos apropriados para as técnicas. 

O grupo também participou de visitas ao Canto Mãe Coruja, à Vigilância Epidemiológica municipal de Garanhuns, além de acompanhar visitas domiciliares para investigação de óbitos maternos e de mulheres em idade fértil. Os módulos foram ministrados pela coordenadora do Programa de Residência em Enfermagem Obstétrica, Enfª Hérika Dantas, pela coordenadora assistencial, Lilian Sampaio, e pela docente Lívia Barbosa. 

A ESPPE implantou o Programa de Residência em Enfermagem Obstétrica em 2016. O projeto tem por objetivo formar enfermeiros obstetras para a atenção integral à mulher com ênfase ao ciclo gravídico-puerperal, de forma descentralizada e regionalizada, obedecendo aos princípios do Programa de Humanização em Saúde (PNH) e as Boas Práticas de Atenção ao Parto e Nascimento recomendados pela Organização das Nações Unidas (ONU). 

A residência está sendo desenvolvida em quatro Regionais de Saúde de Pernambuco: Caruaru, Garanhuns, Arcoverde e Salgueiro.