A história do Hospital Agamenon Magalhães (HAM) está diretamente ligada às evoluções do sistema de saúde de Pernambuco. A unidade, que no próximo dia 14 de junho comemora 65 anos, surgiu como a Casa de Saúde São João, em 1948, sendo de administração privada e com equipe formada por enfermeiras, vindas de países europeus após a Segunda Guerra Mundial, e por parteiras capacitadas pela Faculdade de Medicina do Recife. Após a venda da instituição para o Instituto de Aposentadoria e Pensões dos Industriários (IAPI), foi reinaugurada com o nome atual, em 14 de junho de 1953.

Em celebração à data, nesta quinta (14.06) e sexta-feira (15.06) a unidade promove palestras voltadas para as especialidades com referência no atendimento do HAM.  O Agamenon Magalhães atende cerca de 5 mil pacientes/mês nas suas quatro emergências (clínica, cardiológica, otorrinolaringologia e maternidade de alto risco) e oferta  7  mil consultas ambulatoriais/mês, além de realizar cerca de 400 partos. Destaque para o serviço de cardiologia, contando com hemodinâmica com atendimento em tempo integral, e a maternidade de alto risco, contribuindo de forma importante com a Rede Materno Infantil do Estado.

“São 65 anos de história baseados na excelência como hospital de ensino e na assistência à população que busca o Sistema Único de Saúde (SUS). O Agamenon Magalhães tem tradição na produção de resultados e conta com o comprometimento da equipe de profissionais”, afirmou a secretária executiva de Atenção à Saúde da SES, Cristina Mota.

 

No primeiro dia de atividades, os temas abordados serão: “Assistência Cardiovascular no HAM – Avançando Sempre”, com os médicos Giordano Bruno, Hermilo Borba, Gabriela Buril e Rafael Maia. Já o “MaterHAM: Paixão e Missão”, assunto ministrados pelas médicas Andrea Vasconcelos e Daniele Castro, e pelas enfermeiras Patty Miwako e Aline Carvalho.

“Na ocasião celebraremos os serviços prestados, reafirmando a missão do serviço, com evento científico nas áreas de suas maiores referências. O momento vem registrar também o nosso compromisso com o Sistema Único de Saúde (SUS), com a instituição e com a população pernambucana aqui assistida”, afirma a diretora do HAM, Claudia Miranda.

Credenciado pelo Ministério da Saúde (MS) como de alta complexidade em saúde auditiva, o HAM é a principal referência desta especialidade no Estado. O Hospital também é habilitado, por credenciamento específico, para realização dos Implantes Cocleares, mais conhecidos como “ouvidos biônicos”. Cirurgias bariátricas (de obesidade mórbida) também podem ser feitas no hospital.

Para socializar sobre as práticas desenvolvidas na unidade de saúde, no dia 15.06 (sexta-feira) a programação conta ainda com palestras voltadas para “Metabologia e Obesidade – Excelência no HAM”, explanado pelos médicos Francisco Bandeira e Sérvio Fidney, “Assistência Integral as Mulheres Vítimas de Violência”, com a assistente social Mayara Mendes, e “Saúde Auditiva: audição transformando vidas”, discutido pelas médicas Mariana Leal e Patrícia Santos e a fonoaudióloga Daniela Albuquerque. O encerramento das comemorações será com a apresentação da Orquestra Sinfônica dos Meninos da Cidade de Feira Nova.