Uma das referências estaduais em assistência materno-infantil e cardiologia, o Hospital Agamenon Magalhães (HAM), localizado no bairro de Casa Amarela, no Recife, comemora, nesta sexta-feira (14.06), 66 anos de história. Fundada em 1948 após o término da Segunda Guerra Mundial, a unidade de saúde funciona no coração da Zona Norte da capital pernambucana, atendendo a mais de cinco mil pacientes por mês nas suas cinco emergências: clínica, cardiológica, otorrinolaringologia, obstetrícia e o Serviço de Apoio à Mulher Wilma Lessa. Para marcar a data, o secretário estadual de Saúde, André Longo, participou de programação especial, com direito a corte de bolo e momento musical, com representantes da direção da unidade, funcionários e usuários do hospital. As atividades aconteceram no auditório do sexto andar do HAM.   

O encontro comemorativo marcou a trajetória da unidade, que iniciou sua história na saúde pernambucana sob gestão privada. Nomeado inicialmente como Casa de Saúde de São João, a equipe do hospital era formada por enfermeiras europeias e parteiras treinadas pela Faculdade de Medicina do Recife. Os altos custos com a assistência levaram à sua venda para o Instituto de Aposentadoria e Pensões dos Industriários (Iapi). Em 1953, o serviço foi reinaugurado, passando a se chamar Hospital Agamenon Magalhães.

Além dos serviços de referência, a unidade é destaque em outras áreas, como endocrinologia e cirurgia bariátrica, e abriga o serviço de Apoio à Mulher Wilma Lessa, referência estadual no acolhimento e atendimento da mulher vítima de violência, principalmente física e sexual. O hospital também sedia importantes programas que buscam qualificar o atendimento ao usuário do SUS em Pernambuco. "Nós sabemos que a conjuntura da saúde pública não é fácil, mas o Governo Paulo Câmara tem cumprido seu papel. Somos o Estado que mais investe em saúde, se compararmos a série histórica. Para o Agamenon, este ano, reforçaremos a equipe com os aprovados no último concurso da Saúde, além de ter planos para investimentos na unidade nos próximos meses. É gratificante, para mim, comemorar os 66 anos do hospital, que foi o meu primeiro vínculo público na saúde. Esperamos crescer e evoluir ainda mais daqui para frente", pontuou o secretário estadual de Saúde, André Longo, durante a cerimônia.

 

Todo mês, além dos cinco mil atendimentos nas emergências, a unidade registra quase 20 mil internações e cerca de 400 partos. Vale destacar que o hospital tem feito um importante trabalho para diminuir a mortalidade materna na sua maternidade de alto risco, reduzindo em 50% os registros entre maio de 2017 e maio de 2018. São diversas especialidades médicas e não médicas ofertadas na unidade. Para se ter uma ideia, por ano, o HAM realiza mais de 200 mil procedimentos ambulatoriais. "O Hospital Agamenon Magalhães alia assistência ao ensino e a pesquisa, tradição com inovação, acolhendo e cuidando, nas várias fases da vida, das pessoas que o procuram. No dia em que comemoramos 66 anos de atividades, fizemos uma reflexão sobre o papel do serviço na sociedade, nossa perspectiva para o futuro e homenageamos alguns servidores que representam o enorme grupo de profissionais que fazem o hospital funcionar diariamente", pontua a diretora da unidade, Cláudia Miranda.

O Hospital Agamenon Magalhães vem, ano a ano, ampliando os serviços ofertados na unidade. Nos últimos anos, o hospital reforçou o serviço de hemodinâmica para atendimentos em tempo integral, 24h por dia, realizando o diagnóstico e tratamento de problemas cardíacos. A direção também ampliou em 14 os leitos de UTI, sendo 8 de clínica geral e 6 na unidade coronariana. Em dezembro do ano passado, a unidade inaugurou o seu tomógrafo, agilizando diagnósticos de diversas doenças e qualificando a assistência ao usuário do SUS em Pernambuco. São realizados, por mês, cerca de 600 exames com a nova tecnologia.