Residentes e doutorandos de Clínica Médica do Hospital Miguel Arraes (HMA) realizaram um “atendimento especial” a pacientes internados no 4º andar da unidade, nessa terça-feira (12). Através do método da Palhaçoterapia, a residente Thaís Nóbrega e os doutorandos Marina Arruda e Gabriel Melo se transformaram nos palhaços “Branquilda da Flor Primeira”, “Serena Estelita” e “Leônidas Tangerina”. Eles foram responsáveis por momentos de mais humanização no atendimento e tratamento dos pacientes. Além de aliviar o momento de tensão no ambiente, o grupo ainda levou muita alegria aos leitos e corredores do HMA.

 

A figura do palhaço dentro do hospital surgiu em 1980, quando o oncologista infantil americano Patch Adams buscou melhorar o ambiente hospitalar e a relação médico-paciente através do amor, humor e gentileza. Hoje, o exemplo do médico é seguido por milhares de voluntários em todo o mundo, com o objetivo de melhorar a vida de quem está dentro do hospital, seja paciente, familiar ou funcionário.