As áreas técnicas da Diretoria de Política Estratégica (DPE) e a Superintendência de Atenção Primária da Secretaria Estadual de Saúde (SES) têm uma agenda importante a cumprir nesta quinta-feira (21.03). As equipes se reunirão para o II Encontro Estratégico de Planejamento em Saúde. Como já previsto na etapa de planejamento dos encontros, esse segundo momento servirá para elaborar as ações de 2019 com base no que foi discutido no I Encontro. As atividades acontecerão, das 8h às 17h, na Sala Fernando de Noronha do Centro de Convenções de Pernambuco (Cecon-PE).  

"Com o primeiro encontro nós identificamos quais são os maiores gargalos nos serviços e começamos a pensar como podemos aprimorar as estratégias, para que elas aconteçam de forma integrada. Agora, com todas as relatorias em mãos, vamos planejar as ações deste ano, definindo prioridades, desenhando as operações e estabelecendo prazos para a execução", pontua a diretora-geral de Políticas Estratégicas da SES, Mayra Ramos. 

A ideia é expandir o planejamento integrado para outras secretarias executivas da Secretaria Estadual de Saúde e, posteriormente, articular ações da Saúde integradas com outros órgãos do poder executivo.   

A Diretoria de Políticas Estratégicas 

É responsável pela coordenação das atividades relacionadas ao cuidado e às políticas estratégicas de atenção à saúde da população, como Saúde da Mulher, Saúde do Idoso e do Homem, Saúde da Criança e do Adolescente, Saúde Mental e Saúde da Pessoa com Deficiência. Também engloba coordenações voltadas para cuidados transversais, como Saúde Bucal, Saúde da População LGBT, Boa Visão, População Negra e Nutrição. Integra a Secretaria-Executiva de Atenção à Saúde da SES-PE. 

A Superintendência da Atenção Primária

É responsável pela formulação, implantação e coordenação da Política Estadual de Fortalecimento à Atenção Primária no Estado, trabalho realizado em conjunto com a Gerência de Expansão e Qualificação da Atenção Primária, Programa Mais Médicos, Programa Nacional de Imunização, Política das Práticas Integrativas e Complementares e Política Nacional de Atenção Integral à População Privada de Liberdade no Sistema Prisional.