A Unidade de Pronto Atendimento e Atenção Especializada (UPAE) de Petrolina lembra, nesta quinta-feira (10.10), o Dia Mundial da Saúde Mental. A data foi instituída em 1992 pela Federação Mundial de Saúde Mental e tem como objetivo chamar a atenção pública para o tema, que tem alcance global. Combater o preconceito e o estigma relacionados aos cuidados com a saúde psicológica também é um das metas do dia. 

Os problemas relacionados à saúde mental já são considerados uma prioridade pela Organização Mundial da Saúde (OMS) devido ao grande número de dias de incapacidade que podem causar. São comuns a todos os povos e ultrapassam as barreiras nacionais, culturais, políticas e socioeconômicas.  

No Brasil, por exemplo, os números de pessoas com depressão e transtorno de ansiedade são alarmantes. Dados da OMS mostram que 5,8% dos brasileiros (cerca de 12 milhões de pessoas) sofrem de depressão. É a maior taxa da América Latina e a segunda maior das Américas, atrás apenas dos Estados Unidos.  

Estima-se que entre 20% e 25% da população teve, tem ou terá depressão, sendo essa a doença psiquiátrica com maior prevalência no Brasil. Em seguida, aparece a ansiedade, que afeta 9,3% dos brasileiros (cerca de 19,4 milhões), e faz com que o Brasil ocupe o primeiro lugar da lista de países mais ansiosos do mundo.  

O suicídio é a terceira principal causa externa de mortes no Brasil (atrás de acidentes e agressões), com 12,5 mil casos em 2017, segundo o Ministério da Saúde. Em relação ao ano anterior, o aumento foi de 16,8%.  

Outros transtornos ansiosos incluem fobia, transtorno obsessivo-compulsivo, estresse pós-traumático e ataque de pânico. E para falar sobre tudo isso, a equipe da UPAE Petrolina promoveu, no mês de setembro, alguns momentos marcantes. Foram diversas atividades, e o mês foi fechado com uma palestra sobre estresse com o médico emergencista e psiquiatra, Diego Batista. No mesmo dia houve a participação do Centro de Valorização da Vida que falou um pouco sobre o trabalho da associação filantrópica.    

 

“Aproveitamos o Setembro Amarelo e intensificamos as nossas ações. Com o mote do Dia do Estresse fizemos o convite ao Dr. Diego para falar sobre as questões psíquicas que envolvem a saúde mental. Foi bem bacana e houve uma participação muito boa dos nossos funcionários”, ressalta a ouvidora e presidente da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes, Síngryd Lima.  

Para a também cipeira e supervisora do Serviço Social, Nazaré Cunha, o mês foi fechado com chave de ouro. “A participação do CVV sempre abrilhanta as ações da UPAE e com a participação deles pudemos também envolver os pacientes e usuários neste momento de informação e troca. Então, o saldo foi muito positivo”, acredita.