Neste ano, um grupo de funcionários públicos procurou o Núcleo de Apoio às Famílias de Crianças com Microcefalia da Secretaria Estadual de Saúde (SES) prontificando-se a doar óculos ou lentes para os pequenos diagnosticados com Síndrome Congênita do Zika/Microcefalia. O Núcleo, que completa um ano de funcionamento neste mês de maio, intermediou todo o processo e, nesta terça-feira (16.05), na sede da SES, no Bongi, foi feita uma entrega simbólica das lentes corretivas às mães beneficiadas. Nesta primeira remessa, oito crianças serão contempladas. Ao todo, 22 serão beneficiadas.
 
“A partir do contato dos doadores, nossos apoiadores regionais verificaram com os municípios ou diretamente com as mães para saber quais crianças precisavam de óculos. O trabalho foi feito em todas as Regionais de Saúde”, afirma a coordenadora do Núcleo, Laura Patriota. O grupo de funcionários públicos é ligado à Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).
 
Todas as crianças contempladas com os óculos ou lentes corretivas são acompanhadas por oftalmologistas nos serviços de referência. Nas unidades de saúde, as mães conseguiram a prescrição das lentes e entregaram ao Núcleo, que encaminhou para a ótica responsável pela confecção. “Os óculos são essenciais para a reabilitação dessas crianças e para ajudá-las a ter mais qualidade de vida”, reforça Laura.
 
Entre as crianças beneficiadas, Maria Emilly, de 1 ano e 6 meses. A pequena mora em Vitória de Santo Antão e recebe atendimentos na Fundação Altino Ventura (FAV) e na Apami de Vitória, contemplando reabilitação auditiva, visual e motora, além de terapia ocupacional. "Quanto mais cedo ela for estimulada, mais rápido será seu desenvolvimento", diz Érica dos Santos, mãe de Emilly.
 
Neste primeiro momento, oito óculos serão entregues. Mais sete já foram encaminhados para confecção e outros sete estão no aguardo da chegada das prescrições. A expectativa é que todo o processo seja finalizado até o mês de junho. As crianças beneficiadas são das Gerências Regionais de Saúde (Geres) do Recife, Limoeiro, Palmares, Caruaru, Arcoverde, Serra Talhada e Goiana.
 
APOIO – Com o intuito de coordenar e monitorar o trabalho relacionado às famílias e crianças com microcefalia, a Secretaria Estadual de Saúde (SES) instituiu, em 17 de maio de 2016, o Núcleo de Apoio às Famílias com Microcefalia. A equipe acompanha, de modo regionalizado, as crianças notificadas durante toda a linha do cuidado, além de prestar apoio às famílias e desenvolver estratégias para garantir seus direitos.
 
“Temos contato permanente com as famílias das crianças com diagnóstico de Síndrome Congênita do Zika. Assim, recebemos as informações e buscamos, juntamente com os municípios, rede de saúde e outros órgãos, atender as demandas”, diz Laura Patriota.
 
DADOS – Desde 2015, Pernambuco notificou 2.326 casos de Síndrome Congênita do Zika/Microcefalia, com 412 confirmações e 1.568 casos descartados.