A partir da próxima segunda-feira (26/04), está liberada a imunização contra a influenza para trabalhadores de saúde de todo o território pernambucano. A campanha de vacinação foi iniciada em 12/04 e começou pela proteção das gestantes, puérperas (mulheres até 45 dias após o parto), crianças de 6 meses a 5 anos e crianças indígenas de 6 meses a 8 anos. Nesta primeira fase, que segue até 10/05 e ainda incluirá o restante da população indígena, a expectativa é vacinar mais de 1,1 milhão de pessoas.

Para tomar a vacina contra a influenza, é importante respeitar o intervalo mínimo de 14 dias caso o trabalhador tenha sido imunizado contra a Covid-19. “Apesar das atenções estarem voltadas para a vacinação contra o novo coronavírus, não podemos deixar de lado a proteção para a influenza, que possui uma vacina segura e que traz benefícios não apenas para o indivíduo, mas para toda a sociedade. O imunizante vai proteger contra uma doença que também pode agravar e levar ao óbito, o que também pode gerar ainda mais sobrecarga no sistema de saúde e sofrimento para os familiares do paciente. A vacina é um direito dos grupos prioritários e está disponível em todos os municípios pernambucanos. Ao longo das próximas semanas, temos a expectativa de enviar mais doses do imunizante para que possamos atender as mais de 3,5 milhões de pessoas inclusas nessa estratégia”, afirma a superintendente de Imunização da Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE), Ana Catarina de Melo. 

Até o momento, os municípios pernambucanos informaram que foram aplicadas 156.996 doses contra a influenza. Ao todo, já foram distribuídas mais de 822 mil vacinas, que protegem contra três cepas do vírus: A(H1N1), A(H3N2) e B. O objetivo da imunização é evitar complicações decorrentes de todos esses vírus e, consequentemente, hospitalizações e mortes, além de diminuir a circulação viral. O Programa Estadual de Imunização também entregou mais de 4 milhões de seringas e agulhas para que os gestores municipais possam operacionalizar toda a campanha.