A Escola de Governo em Saúde Pública de Pernambuco (ESPPE) promoveu, nesta semana, mais duas edições do ESPPE Debate. A primeira ocorreu na última terça-feira (28.07) e discutiu o tema “Água limpa e terra fértil em meio à Pandemia: o novo marco regulatório garante o acesso a todos?”. A segunda ocorreu hoje (31.07) e abordou o tema “A Vigilância em Saúde no enfrentamento à pandemia do novo coronavírus: experiências exitosas”. Os dois temas abordados nos debates são fundamentais nesse momento em que a pandemia do novo coronavírus precisa ser contida, como vem acontecendo graças às políticas públicas de muitos estados e municípios, a exemplo de Pernambuco. 

Para a diretora-geral da ESPPE, Célia Borges, as temáticas discutidas em cada edição do ESPPE Debate são relevantes para a saúde coletiva e para o desenvolvimento das ações que são realizadas na escola. “Discutir a aprovação do novo marco regulatório do saneamento é importante para que se possa fazer uma reflexão sobre as implicações do marco para o problema sanitário no Brasil. Já a Vigilância em Saúde, que em um contexto de pandemia ocupa a linha de frente junto com outros setores da saúde, enfrenta grandes desafios. Sendo assim, é imprescindível compartilhar o que tem sido feito nos territórios. O curso Técnico em Vigilância em Saúde da ESPPE, por exemplo, tem dentre os seus objetivos o compartilhamento de experiências exitosas, inclusive para o aprimoramento de práticas.”

O ESPPE Debate sobre o tema “Água limpa e terra fértil em meio à pandemia: o novo marco regulatório garante o acesso a todos?” contou com a participação da professora Christine Farias, graduada em Ciências Ambientais, mestra em Desenvolvimento e Meio Ambiente, doutora em Engenharia Agrícola e pós-doutora em Energia Renováveis, e do professor André Monteiro, pesquisador do Instituto Aggeu Magalhães/Fiocruz, engenheiro sanitarista, atua na área de saúde & ambiente. Já o ESPPE Debate sobre o tema “A vigilância em Saúde no enfrentamento à pandemia do novo Coronavírus: experiências exitosas” contou com a participação da coordenadora do Cerest Estadual de Pernambuco (SES-PE), Thatianne Andréa Bezerra; da coordenadora de Vigilância em Saúde do município de Ouricuri (IX Geres),Terezinha Barreto; e da coordenadora de Vigilância em Saúde do município de São José do Egito (X Geres), Naldyrene Félix.