A Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) lamenta o falecimento, na noite de última terça-feira (26.11), do médico e ex-secretário estadual de Saúde Gentil Porto. De acordo com familiares, o velório de Porto será nesta quarta-feira (27.11) a partir das 13h e a cremação às 16h, no Memorial Guararapes, em Jaboatão dos Guararapes. 

Nascido em 1940, no Recife, Gentil Porto formou-se em medicina pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) em 1963 e iniciou seus trabalhos no Hospital Otávio de Freitas (HOF). Foi diretor do Hospital Dom Malan, em Petrolina; gerente da VIII Gerência Regional de Saúde (Geres), com sede também em Petrolina; e secretário estadual de Saúde de março de 2005 a janeiro de 2007. Ainda em 2007 passou a integrar a cadeira de número 7 da Academia Pernambucana de Medicina. Também escritor, publicou, entre outros, Diário de Bordo, Cartas, crônicas e outras coisas, Antônio Gasolina – Romance, Vento Norte– Romance, Porto Gentil – Crônicas, E o Tempo Passou– Crônicas.

"Precisamos lembrar o compromisso de Gentil Porto com a saúde pública desde o início de sua carreira, tanto no atendimento à população como fazendo parte da gestão. Referência em obstetrícia, era preocupado com a área materno infantil e também com a regionalização da assistência e fortalecimento dos hospitais de pequeno e médio porte no interior. Esse seu olhar especial para o interior do Estado o levou a atuar no Dom Malan e na VIII Geres, em Petrolina. Na SES-PE, foi secretário executivo de Assistência à Saúde e também titular da pasta por dois anos", afirma o secretário estadual de Saúde, André Longo. Foi na gestão de Gentil Porto a criação da XI Geres, em Serra Talhada, e da Ouvidoria da Saúde. 

Em dezembro de 2018, o médico participou da comemoração dos 70 anos da Secretaria Estadual de Saúde (SES), quando foram homenageados todos os gestores que passaram pela pasta. Na ocasião, ele afirmou que "a Secretaria de Saúde é como se fosse minha casa. Foi muito importante para mim a passagem por esta Secretaria. Devo muito a todos os servidores, aos que não aparecem, mas dão uma enorme contribuição por tudo o que fizeram".