Vinculada à secretaria-executiva de Atenção à Saúde, a Gerência de Atenção à Saúde da Mulher tem a missão de desenvolver, promover, coordenar, avaliar e definir as diretrizes do Programa de Atenção Integral à Saúde da Mulher no Estado de Pernambuco.

 
A Gerência também é responsável pelo desenvolvimento de programas voltados para o enfrentamento de agravos que atingem a população feminina, incluindo as questões de gênero e direitos reprodutivos, violência contra a mulher e prevenção do câncer de colo do útero e controle do câncer de mama. Confira abaixo os principais programas desenvolvidos pela Gerência de Saúde da Mulher:
 
Programa de controle do Câncer de Colo do Útero 
 
Visa combater a incidência do câncer de colo do útero entre as mulheres pernambucanas. Para isso, atua com ações de prevenção entre a população feminina, especialmente na faixa etária prioritária (25 a 64 anos), e trabalha para aumentar a oferta de serviços para a detecção precoce desse câncer, e garantia do acesso ao tratamento e a reabilitação das mulheres.
 
Programa de controle do Câncer de Mama 
 
Busca detectar precocemente e reduzir a mortalidade por câncer de mama, por meio de ações de prevenção, oferta de serviços para detecção em estágios iniciais da doença e para o tratamento e reabilitação das mulheres.
 
Programa de Humanização do Pré-Natal e Nascimento
 
A humanização do pré-natal e do parto é uma das diretrizes do programa, que busca implantar um acompanhamento integral às gestantes, desde o início da gestação até o período puerperal (42° dias após o parto). Para isso, desenvolve ações de qualificação dos profissionais da atenção primária dos municípios para realizar o cadastramento e acompanhamento precoce das gestantes e dos profissionais das maternidades para implantação de práticas assistenciais humanizadas desde a recepção até a sala de parto.
 
Programa de Mortalidade Materna
 
Com o objetivo de reduzir a mortalidade materna em Pernambuco, a iniciativa atua, prioritariamente, na implantação e monitoramento dos comitês regionais de investigação ao óbito de mulheres em idade fértil. O objetivo é identificar as principais causas do óbito materno, buscando meios de enfrentar o problema.
 
Programa de Planejamento Reprodutivo
 
Objetiva promover o acesso da população feminina e masculina às ações de planejamento reprodutivo, por meio da estruturação e ampliação de serviços e capacitação de recursos humanos. Também é responsável pela elaboração e formulação da Política Estadual de Atenção e Planejamento Reprodutivo, da organização da rede assistencial, incluindo a formalização dos sistemas de referência e contra referência.
 
Programa de Assistência à Mulher em Situação de Violência
 
Buscando reduzir as repercussões físicas, psicológicas e sociais na mulher vítima de violência, o Programa atua na descentralização da assistência e na articulação e integração de uma rede estadual de enfrentamento à violência. O objetivo é aumentar a eficiência da rede de atenção às vítimas, reduzindo a desigualdade de acesso da mulher em situação de violência à rede de saúde.
 
Programa Estadual de Parteiras Tradicionais
 
Implementa ações voltadas para a melhoria da assistência ao parto domiciliar realizado por parteiras tradicionais, visando a redução da morbimortalidade materna e neonatal, decorrente desse ato. Assim, contribui para a assistência ao parto domiciliar de forma segura e humanizada, diminuindo os riscos e seqüela nas gestantes, recém-nascidos e puérperas (mulheres até o 42º dia pós-parto). Também mantém um processo de educação continuada às parteiras tradicionais, promovendo capacitações e oferecendo um kit de material para o parto domiciliar.
 
Coordenação Estadual de Sistemas de Informação da Saúde da Mulher
 
A Gerência de Atenção à Saúde da Mulher coordena três sistemas de informação (Siscolo, Sismama e Sisprenatal), que têm o objetivo geral de monitorar e avaliar a implantação dos Programas de Câncer do Colo do Útero, Mama e Humanização do Pré-Natal e Nascimento, respectivamente, nas regiões e nos municípios. 
 
Os sistemas de informação Siscolo e Sismama são ferramentas que possibilitam gerenciar, por meio dos dados gerados, as ações dos programas de controle dos cânceres do colo do útero e mama (a cobertura da população alvo, qualidade dos exames, prevalência das lesões precursoras do colo do útero, a situação do seguimento das mulheres com exames alterados), entre outras informações que permitem acompanhar as ações de rastreamento, diagnóstico e tratamento. Já Siscan é a versão em plataforma web que integra os sistemas de informação Siscolo e Sismama – a sua implantação oficial está prevista para julho de 2013.
 
O Sistema de Monitoramento e Avaliação do Pré-natal, Parto, Puerpério e Criança (Sisprenatal), permite o monitoramento e avaliação da atenção ao pré-natal e ao puerpério prestadas pelos serviços de saúde a cada gestante e recém-nascido, desde o primeiro atendimento na unidade básica de saúde até o atendimento hospitalar de alto risco. A coordenação estadual tem o papel de capacitar os técnicos das Geres para a utilização dos sistemas no monitoramento e avaliação dos Programas no âmbito regional, implantar os sistemas Siscolo e Sismama nos serviços que realizam leitura do exame citopatológico cérvico uterino e mamografia, bem como nos hospitais de referência para o tratamento de câncer de mama e colo do útero (Unacons).
 
DOCUMENTOS
 
 
 
Gerência de Atenção à Saúde da Mulher
Gerente: Letícia Katz
Telefone: (81) 3184.0605 // 0607

Aplicativos

Nenhum documento para download encontrado.