A Economia da Saúde é o campo de conhecimento voltado para o desenvolvimento e uso de ferramentas de economia na análise, formulação e implementação das políticas de saúde. Envolve a análise e o desenvolvimento de metodologias relacionadas ao financiamento do sistema, a mecanismos de alocação de recursos, à apuração de custos, à avaliação tecnológica. Busca o aumento da eficiência no uso dos recursos públicos e a equidade na distribuição dos benefícios de saúde por ele propiciados (MS/Brasil).
 
O Estado de Pernambuco e mais 14 Secretarias Estaduais de Saúde, Departamento da Economia da Saúde, Investimentos e Desenvolvimento - (DESID/SE/MS), universidades, escolas de saúde, associações e institutos de pesquisa participam da Rede de Economia da Saúde para a Gestão do SUS – Rede ECOS. Consiste em uma rede de cooperação técnica que tem por objetivo principal contribuir para o desenvolvimento do campo da Economia da Saúde no SUS, disponibilizando ferramentas para subsidiar o processo de tomada de decisão, a fim de qualificar a gestão e melhorar o acesso dos cidadãos às ações e serviços de saúde.
 
A Política de Economia da Saúde é coordenada pela Secretaria Executiva de Coordenação Geral, por meio da Diretoria Geral de Informações Estratégicas. Está institucionalizada através de instâncias de referência: Núcleo de Economia da Saúde de Pernambuco (NES-PE), Núcleo de Economia da Saúde Hospitalares (NES-Hosp) e o Comitê Estadual de Economia da Saúde. Tem como meta principal implantar nos hospitais estaduais, sob administração direta, a gestão de custos.
 
Cada instância desenvolve um papel para a implementação da política:
 
Núcleo de Economia da Saúde (NES-PE): Promove a disseminação das ações de Economia da Saúde nos estados e em municípios de grande porte, com vistas a subsidiar os gestores locais no processo de tomada de decisão pela aplicação do conhecimento e das ferramentas de Economia da Saúde. Atuando nos seguintes eixos: Elaboração de estudos econômicos em saúde, implementação da gestão de custos nos hospitais estaduais sob administração direta, apoio ao estado e municípios na declaração dos dados no Sistema de Informação sobre Orçamentos Públicos em Saúde (SIOPS), apoio à alimentação do Banco de Preços em Saúde (BPS) para promover economicidade em compras de insumos e equipamentos para a saúde, apoio à gestão na elaboração e execução do orçamento da saúde. 
 
Núcleos de Economia da Saúde (NES-Hosp): Tem como principal atividade a gestão de custos, além de fomentar a prática de melhoria dos processos de trabalho nos hospitais apontando para a equipe gestora aspectos que podem qualificar as práticas desenvolvidas no hospital visando a melhoria da atenção à saúde prestada pelos usuários.
 
Comitê Estadual de Economia da Saúde (CEES-PE): É formado por grupo de experts de instituições de ensino e representantes da SES que tem como objetivo fomentar e contribuir para o fortalecimento da Política Estadual de Economia da Saúde por meio da difusão do uso de conceitos, métodos e técnicas, vinculados à temática da economia da saúde bem como, estudos e pesquisas na área de economia da saúde; acompanhamento das ações da área de economia nas unidades de saúde, proposição de conteúdos programáticos para qualificação dos profissionais da rede SUS-PE, contribuir no desenvolvimento e implementação de programas vinculados à saúde, cujo funcionamento demonstre a aplicabilidade da economia.
 
Em 2015 foi iniciada a implantação da gestão de custos nos hospitais:
 
- Hospital da Restauração
- Hospital Barão de Lucena
- Hospital Otávio de Freitas
- Hospital Agamenon Magalhães
- Hospital Getúlio Vargas
- Hospital Correia Picanço 
- Hospital Regional José Fernandes Salsa
- Hospital Regional Dom Moura
 
PARA BAIXAR
 
 
 
 
Política Estadual de Economia da Saúde 
Diretoria Geral de Informações Estratégicas: Inês Costa
Telefone: (81) 3184-0078