Pernambuco é o 9° estado com maior coeficiente de detecção da hanseníase no Brasil. A cada grupo de cem mil pernambucanos, 29 são diagnosticados com a doença e podem sofrer algum tipo de incapacidade no futuro. Por isso, promover o diagnóstico precoce de casos e facilitar o acesso da população ao tratamento da hanseníase está entre as principais metas do Programa Estadual de Vigilância, Prevenção e Controle da Hanseníase.
 
O programa atua em todo o Estado realizando apoio técnico das ações de controle e acompanhamento da doença nos municípios, através do monitoramento dos indicadores epidemiológicos e operacionais. Atua também na reorganização da assistência de acordo com os níveis de complexidade e promoção de capacitação para os profissionais da rede pública de saúde. A equipe planeja e articula suas ações, em parceria com: A Superintendência de Assistência Farmacêutica, Atenção Básica, Lacen, Apevisa, Secretaria Executiva de Ressocialização do Estado, Secretarias de Educação, Morhan, Pastoral da saúde, onde também estabelece parcerias com organizações governamentais e não governamentais.
 
Toda a medicação para hanseníase é gratuita e fornecida pelo Ministério da Saúde. A distribuição dos medicamentos trata a doença e impede a sua transmissibilidade.
 
Dados relevantes:
 
- A Região Metropolitana do Recife concentra 62% dos casos de hanseníase do estado;
- Dos casos novos, 24% já apresentam algum tipo de incapacidade em consequência da doença;
- No Nordeste, Pernambuco é o 3º estado com maior coeficiente de detecção de hanseníase.
- A estimativa é de que existem, no estado, 11 casos para cada cem mil habitantes entre menores de 15 anos.
 
Programa Estadual de Vigilância, Prevenção e Controle da Hanseníase
Gerência: Danyella Kessea Travassos
Coordenação: Raíssa Alencar
Fone: (81) 3184.0200      

Aplicativos

Nenhum documento para download encontrado.