A Secretaria Estadual de Saúde (SES) coordena a vigilância das meningites em Pernambuco, monitorando principalmente aquelas causadas pela Neisseria meningitides e Haemophilus influenzae, bem como a ocorrência de surtos pelas diversas etiologias. O objetivo da mesma é orientar a adoção de medidas de prevenção e controle da doença. Também fazem parte dessa rede de vigilância as Secretarias Municipais de Saúde (SMS), o Lacen, o Hospital Correia Picanço e o Serviço de Verificação de Óbito (SVO).
 
As meningites de todas as etiologias são doenças de notificação compulsória e todos os casos suspeitos devem ser notificados às Secretarias Municipais e Estadual de Saúde. Devido à possibilidade de transmissão, diante de caso suspeito de meningite meningocócica, a notificação deve ser imediata e a SMS realiza a investigação epidemiológica e adota as ações de prevenção e controle.
 
Dentre essas ações destacam-se a busca de comunicantes, identificação daqueles que tiveram contato próximo e prolongado com o caso suspeito, orientação quanto ao surgimento dos sinais e sintomas e, quando necessário, a adoção da quimioprofilaxia. A situação epidemiológica da doença meningocócica é divulgada através do Informe Semanal de Doença Meningocócica, elaborado pela SES/PE.
 
As vacinas contra as meningites são específicas para determinados agentes etiológicos. Estão disponíveis nas unidades públicas de saúde, as vacinas que previnem meningites causadas por: vírus do sarampo, rubéola, caxumba e varicela (tríplice e tetra viral); Haemophilus influenzae, dentre outras doenças, (Pentavalente); pneumococo (Pneumocócica 10) e meningococo C (Meningocócica C). O diagnóstico e o tratamento precoces são fundamentais para evitar complicações e morte pela doença. O hospital de referência para as meningites em Pernambuco é o Hospital Correia Picanço, situado na rua Padre Roma, 149, Tamarineira - Recife/PE. 
 
No Estado, no período entre 2007 e 2013 a doença meningocócica vem apresentando comportamento endêmico, com a ocorrência média anual de 100 casos, com predomínio do sorogrupo C, desde 2008. A letalidade da doença variou ao longo dos anos e em 2013 foi de 19,8%.
 
Vigilância Epidemiológica das Meningites
Coordenação: Ana Antunes
Técnica: Roseane Serrano
Fones: (81) 3184.0224

Aplicativos

Nenhum documento para download encontrado.