Vigilância Epidemiológica da Coqueluche

Em 2012, por meio da Portaria Estadual Nº 104, a coqueluche foi incluída na lista de doenças de notificação imediata em Pernambuco e foram realizados cursos da vigilância epidemiológica em parceria com o Lacen, Programa Estadual de Imunizações, Gerências Regionais de Saúde, Secretarias Municipais de Saúde e Unidades Sentinela, estimulando a busca ativa de casos e adoção oportuna das ações de prevenção e controle.

 

 

Vigilância Epidemiológica da Difteria

A difteria é uma doença imunoprevenível, de transmissão respiratória e de notificação compulsória imediata. A transmissão ocorre pelo contato direto de indivíduos suscetíveis com os doentes ou os portadores assintomáticos respiratórios ou cutâneos. O portador assintomático, principal reservatório do bacilo da difteria, é um dos principais responsáveis pela disseminação do patógeno na comunidade, por um período de seis meses ou mais.

 

Vigilância da Doença de Chagas, Malária e Tracoma

Vigilância e Controle da Doença de Chagas

A doença de Chagas é uma infecção parasitária, causada pelo protozoário flagelado Trypanosoma cruzi, transmitida por insetos triatomíneos, conhecidos no Brasil como “barbeiros”, “chupança”, “fincão”, “bicudo”, “chupão” ou “procotó”. As formas habituais de transmissão para o homem são: a vetorial, a transfusional, a transplacentária (congênita) e mais recentemente, a transmissão pela via oral, pela ingestão de alimentos contaminados pelo T. cruzi.

Vigilância e Controle da Esquistossomose, Geohelmintíases e Filariose

A esquistossomose, as geohelmintíases e a filariose são doenças silenciosas que acometem significantemente os municípios pernambucanos, são causadas por vermes, e encontram na relação do homem com o meio ambiente suas formas de transmissão.

 

Vigilância e Controle da Leptospirose

A leptospirose é uma doença infecciosa transmitida ao homem pela urina de roedores, principalmente por ocasião das enchentes. A doença é causada por uma bactéria chamada Leptospira, presente na urina de ratos e outros animais (bois, porcos, cavalos, cabras, ovelhas e cães também podem adoecer e, eventualmente, transmitir a leptospirose ao homem).  

 

Vigilância e Controle de Acidentes por animais peçonhentos

Os animais peçonhentos são aqueles que, por meio de um mecanismo de caça edefesa, são capazes de injetar nas suas presas substâncias tóxicas produzidas diretamente por glândulas especializadas. Esses animais agem por instinto. Ao se sentirem ameaçados, defendem-se. Eles estão presentes tanto em meios rurais, quanto urbanos e são responsáveis por inúmeros acidentes, em variadas regiões brasileiras, com índices crescentes, ano após ano.

Programa Estadual de Vigilância, Prevenção e Controle da Hanseníase

A cada grupo de cem mil pernambucanos, 29 são diagnosticados com hanseníase e podem sofrer algum tipo de incapacidade no futuro. Por isso, promover o diagnóstico precoce de casos e facilitar o acesso da população ao tratamento da hanseníase está entre as principais metas do Programa Estadual de Vigilância, Prevenção e Controle da Hanseníase.

 

Programa de Prevenção à Dengue, Chikungunya e Zika

DENGUE - É uma doença febril aguda, que pode ser de curso benigno ou grave, dependendo da forma como se apresente. É causada por um vírus RNA, sendo conhecidos quatro sorotipos: DENV1, DENV2, DENV3 e DENV4, que são transmitidos ao homem pelo mosquitos do gênero Aedes, principalmente a espécie Aedes aegypti.

Vigilância em Saúde Ambiental

Páginas

Subscrever RSS - Secretaria Executiva de Vigilância em Saúde