Já estão abertas as inscrições para os programas de Residência Médica e Multiprofissional da Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco (SES/PE) para o ano de 2019. Pioneiro no Brasil na implantação de programas de residências, o Governo de Pernambuco reforça seu compromisso com a qualificação dos profissionais da saúde e oferta vagas em diversas áreas. Os editais já estão disponíveis no site do Instituto de Apoio à Universidade de Pernambuco (IAUPE), entidade organizadora do processo seletivo. O prazo para inscrições, que devem ser feitas exclusivamente pela internet, se encerra no dia 18 de novembro.  

Serão disponibilizadas 1.342 vagas, sendo 806 para Residência Médica e 536 para o programa de Residência Multiprofissional em Saúde. Os candidatos devem se inscrever na plataforma eletrônica www.upenet.com.br. As provas serão realizadas no dia 9 de dezembro, com resultado final a ser divulgado no fim de janeiro de 2019.

“Apesar dos cortes orçamentários do Governo Federal nos recursos para a formação em saúde, Pernambuco segue investindo e diversificando, ano a ano, as áreas de atuação dos programas de residência, com criação de vagas em especialidades estratégicas para a assistência à população, fortalecendo, assim, o Sistema Único de Saúde (SUS) em Pernambuco”, destaca a secretária executiva de Gestão do Trabalho e Educação em Saúde, Ricarda Samara. Este ano, grande parte das ampliações e abertura de novos programas só foram possíveis graças ao financiamento do Governo do Estado, responsável por 70% dos recursos na área de residência.

NOVIDADES - Adotando as novas diretrizes do Ministério da Educação (MEC), que modificou o programa de residência de Cirurgia Geral em todo o país, a SES incluiu no edital de Residência Médica vagas nas duas novas modalidades propostas pela pasta federal: programa de Cirurgia Geral e o programa de Pré-requisito em Área Cirúrgica Básica. A primeira, com tempo de formação de três anos, confere ao residente título de especialista em Cirurgia Geral. Nesta categoria, o residente também está apto para a segunda modalidade. Na residência de Cirurgia Básica, que tem tempo de formação de dois anos, os residentes não receberão o título de especialista (cirurgião geral). O residente em Área Cirúrgica Básica poderá, ao final do segundo ano, no entanto, concorrer a uma vaga para o terceiro ano. Ambos os programas poderão ser utilizados como pré-requisito para acesso às especialidades cirúrgicas que não são de acesso direto, como cirurgia do aparelho digestivo, cirurgia pediátrica e cirurgia vascular. No entanto, apenas o programa de Cirurgia Geral (3 anos) servirá como pré-requisito para acesso às área de atuação em vídeo e trauma e para o Programa Avançado em Cirurgia Geral. 

Outro destaque no programa de Residência Médica 2019 é a criação das seis vagas em Clinica Médica e duas vagas em Anestesiologia no Hospital dos Servidores do Estado (HSE). "Nos outros anos, o Hospital dos Servidores só contava com residência em Cirurgia Geral. Com a criação de dois novos programas, em Clínica Médica e Anestesiologia, buscamos qualificar o atendimento aos servidores assistidos na unidade", pontua a diretora Geral de Educação em Saúde da SES, Juliana Siqueira.

O Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (Imip) também receberá dois novos programas: o de Transplante de Rim (duas vagas - R3) e Anestesiologia Pediátrica (duas vagas - R4). "Há a necessidade de qualificar os nossos especialistas em anestesia para cirurgias pediátricas, por isso a importância de um programa voltado para a área. E Pernambuco, por ser referência em captação e transplantes de órgãos, ocupando a primeira posição do ranking de procedimentos renais no norte/nordeste também precisa de residências focadas para esses procedimentos", comenta Juliana. Outras áreas importantes para a rede de Atenção à Saúde também foram assistidas no programa de Residência Médica, como mastologia, neonatologia, medicina da família e comunidade, pneumologia, nefrologia e geriatria.

Já na Residência Multiprofissional, o enfoque em 2019 será na otimização dos serviços da rede oncológica do Estado, com a implementação do programa de Física Médica, que usa os conhecimentos da física para a medicina. Sua aplicação é utilizada, principalmente, na radioterapia. Em parceria com o Real Hospital Português (RHP) e a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), o Governo de Pernambuco financiará novo programa para residentes que desejam se qualificar na área. "A rede oncológica precisa de profissionais preparados para trabalhar nos serviços de radioterapia. O Brasil investe em outros segmentos, como medicina nuclear, mas falta aporte na formação de recursos humanos, o que concentra a demanda apernas nos médicos. De forma inédita, a parceria em Pernambuco possibilita a formação desse novo profissional, buscando diminuir o gargalo existente na rede de apoio ao tratamento do paciente com câncer", ressalta o coordenador de Residências em Saúde da SES, Thiago Almeida. 

As Residências Médica e Multiprofissional são modalidades de pós-graduação destinadas a médicos e profissionais de saúde de diversas áreas, caracterizada por ensino em serviço. Atualmente, o Governo de Pernambuco investe cerca de R$ 75 milhões em formação de especialistas em saúde, na modalidade de Residência. O quantitativo corresponde a 70% do custeio total dos programas no Estado. Nesse contexto, Pernambuco tem se destacado como um dos mais importantes polos formadores de especialistas, atraindo profissionais de todo o Norte-Nordeste. Dúvidas em relação ao processo seletivo devem ser enviadas para o e-mail: iaupe.residenciamedica2019@gmail.com ou através dos telefones (81) 3033-7394 / 3033-7397.