A Central de Transplantes de Pernambuco (CT-PE) está preocupada com a queda de transplantes de órgãos no Estado. Neste mês de janeiro, até o momento, foram realizadas apenas duas doações múltiplas de órgãos e mais 20 doações de córnea, número bem abaixo da média histórica registrada pela Central de Transplantes.

“Em um mês normal, a média de doações é de quatro a seis doações múltiplas e 35 a 45 doações de córnea”, informa a coordenadora da Central de Transplantes de Pernambuco, Zilda Cavalcanti, que quer chamar atenção da população para o problema. “As pessoas precisam conversar sobre o tema, principalmente com os seus familiares. Deixar claro que querem doar os órgãos. Ainda temos o número elevado de famílias que não são favoráveis à doação, a média de negativa de familiares é acima de 30%”, ressalta.

Tão importante quanto chamar atenção da população é sensibilizar os profissionais de saúde sobre a importância que possuem para o sucesso do trabalho. “Eles têm papel fundamental na notificação da morte encefálica e manutenção do potencial doador, por isso, se eles estiverem sensíveis à questão da doação, será de grande ajuda para a sociedade, em especial aos pacientes que aguardam um transplante no estado”, completa Zilda.

Doação O primeiro passo para o transplante deve ser dado pelo possível doador, ao informar à família sobre sua intenção de doar. No caso de morte encefálica (cérebro paralisa suas funções, mas o coração permanece batendo) do paciente, os parentes devem procurar o médico responsável para assinar um termo de doação. A partir daí, a central encaminhará o órgão para um receptor compatível. A decisão deve ser rápida, para que o transplante seja bem-sucedido. Vale salientar que o corpo do doador não fica mutilado, como muita gente pensa. É fundamental lembrar ainda que a idade não determina se alguém pode ou não ser um doador. Os pré-requisitos são os mesmos exigidos para um doador de sangue: não apresentar doenças contagiosas (a exemplo de hepatite e aids), câncer com metástase, leucemia e ter sido usuário de drogas. Mais informações sobre transplantes podem ser obtidas através do telefone 0800-281-2185.