Com o objetivo de ampliar o acesso ao atendimento especializado, na rede pública de saúde, para as gestantes em condições de alto risco, a Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco (SES-PE) lançará, na próxima quarta-feira (31/01), o serviço de TeleCuidado Materno, que irá contemplar a população dos municípios da II Geres e da Ilha de Fernando de Noronha.

 As teleinterconsultas e as teleconsultas assistidas visam dar maior agilidade à assistência, a fim de evitar os deslocamentos desnecessários, ampliando o acesso das pessoas ao atendimento especializado e promovendo o cuidado centrado no paciente. A assistência será conduzida por um  especialista em ginecologia e obstetrícia, junto com os profissionais da Atenção Primária à Saúde (APS) e as gestantes. 

 As unidades de saúde cadastradas no serviço receberam um manual digital com orientações específicas e detalhadas para garantir a condução segura e eficiente do atendimento. Além disso, os profissionais da APS serão treinados no uso da Plataforma de Teleatendimento, com suporte técnico disponível pela Diretoria Geral de Telessaúde (DGT). “Ao utilizar a tecnologia para conectar especialistas e pacientes, a SES-PE reforça o compromisso em proporcionar cuidados abrangentes e acessíveis a todos os pernambucanos” concluiu Frederico Jorge Ribeiro, diretor da DGT.

 

Para receber a assistência, as gestantes devem procurar uma unidade de saúde cadastrada no TeleCuidado Materno, que neste primeiro momento, são as Unidades Básicas de Saúde da II Geres e de Fernando de Noronha. Essa abordagem garante que o atendimento seja coordenado de maneira integrada com o serviço de saúde local.

 Para a ginecologista e obstetra Adriana Scavuzzi, que atende no TeleCuidado Materno, a expectativa é contribuir para a redução da mortalidade materna. “Muitas mulheres morrem de infecção, hipertensão, de hemorragia, por exemplo, por não buscar assistência. Em muitos casos, há uma demora na procura pelo serviço de saúde, assim como nos encaminhamentos dos próprios serviços para o diagnóstico e tratamento adequado”, explicou. Ainda de acordo com a especialista, com o serviço será possível qualificar os encaminhamentos, otimizar a rede de assistência e ter maior assertividade nas transferências, priorizando quem realmente precisa ser transportado. 

“O TeleCuidado Materno representa um passo significativo para a saúde materna em Pernambuco, proporcionando um atendimento de qualidade, conveniente e seguro para as gestantes de alto risco”, pontuou Cleonúsia Vasconcelos, gerente de Atenção à Saúde da Mulher da SES-PE.