O Ministério da Saúde estima que 85% das gestações sejam de baixo risco, podendo ser acompanhadas por enfermeiros. Mas quando a gravidez é considerada de alto risco, é imprescindível que a futura mamãe seja assistida por um médico capacitado. Para ampliar o quadro de profissionais qualificados nesse atendimento, a Secretaria Estadual de Saúde (SES) está realizando o curso Pré-natal de Alto Risco, a partir das 14h de hoje (24/11), no Hotel Canarius, em Gaibu.

“Quando a grávida apresenta problemas de saúde como hipertensão, diabetes, ou outras doenças, a gestação é considerada de alto risco. Mas o acompanhamento dessa gravidez evita consequências para mães e filhos”, explica a técnica da gerência de Atenção à Saúde da Mulher, Lílian Sampaio, sobre a necessidade de passar, no mínimo, por seis consultas de pré-natal. Gestantes muito novas ou idosas também são classificadas como de alto risco.

Conhecendo as particularidades desse tipo de gestação, o médico pode identificar a necessidade de encaminhar essa paciente a um especialista (cardiologista, endocrinologista, entre outros) e solicitar testes específicos, além dos exames comuns a todo pré-natal. “A maioria dos óbitos em gestantes ocorrem quando há o aumento da pressão sanguínea, chamada de pré-eclampsia”, frisa Sampaio. “Essa alteração pode ainda descolar a placenta, colocando em risco a vida do bebê”.

O curso irá capacitar 47 médicos de todo o Estado, que atendem em serviços de saúde do SUS. A ampliação de profissionais qualificados diminui a necessidade de encaminhar essas gestantes aos hospitais do Recife, o que implica em menos gastos e, principalmente, menos desgaste físico com a viagem para mulheres que apresentam uma gravidez delicada.